Descubra como funciona cada fase do processo de gamificação

Investir em um processo de gamificação é mais fácil do que você pensa. Com algumas etapas, é possível adotar essa estratégia para melhorar as diversas operações de instituições e empresas de ensino, como suas metodologias de aprendizagem.

No entanto, você precisa ter um bom planejamento e saber exatamente o que cada etapa requer para criar uma dinâmica verdadeiramente eficaz.

Descubra neste artigo todas as etapas necessárias para adotar um processo de gamificação em sua empresa ou instituição educacional!

Gamificação e suas vantagens

A gamificação é uma estratégia que está ganhando terreno em muitas áreas – da saúde, à política, às instituições de ensino e às empresas em geral. Não é de admirar: esta metodologia tem um grande potencial para motivar as pessoas vários públicos para executar determinadas ações ou alterar determinados comportamentos.

Em resumo, a gamificação é um método que usa um conjunto de elementos comuns aos jogos em situações que não se limitam ao entretenimento. Esses recursos ajudam as pessoas a se envolverem em atividades que podem não ser tão atraentes quanto estudar matemática e educação para negócios, por exemplo.

Na educação – do básico ao profissional / corporativo – a gamificação traz grandes resultados, ajudando também a fortalecer o conhecimento adquirido na dinâmica, associando o aprendizado a estímulos lúdicos.

Há várias vantagens em usar a gamificação, mas você precisa planejar bem antes de investir nessa metodologia para obter os resultados desejados. Mas isso não é tão complicado quanto muitas pessoas pensam!

Fases do processo de gamificação

Apostar na sua empresa ou instituição educacional é mais fácil do que você pensa. Primeiro de tudo, você precisa conhecer bem essa metodologia para saber se ela é adequada para sua estratégia. Após a resposta positiva, siga estas 4 etapas:

  1. Descubra as necessidades
  2. Entendendo o público-alvo
  3. Planeje o projeto
  4. Implementar, avaliar e melhorar a estratégia

Vamos descobrir como cada etapa do processo de gamificação funciona?

1 – Descubra as necessidades

Cada estratégia tenta resolver um problema ou aproveitar uma oportunidade. Isso geralmente está associado a uma necessidade: os funcionários têm problemas para trabalhar em grupo? Os alunos têm dificuldade em aprender história? É necessário fortalecer o conhecimento técnico? Aumentar a motivação nos estudos em geral?

Antes de implementar qualquer estratégia, é importante saber quais são as necessidades de estudantes, funcionários, empresas ou instituições de ensino. Somente conhecendo bem esses problemas será possível resolvê-los.

A equipe pedagógica e os professores podem diagnosticar o desempenho dos alunos analisando suas notas, comportamentos e até o feedback certo para identificar suas dificuldades e oportunidades de melhoria.

Os recursos humanos e a empresa também podem avaliar o desempenho, a produtividade e o relacionamento dos funcionários e o clima organizacional para verificar questões como competência técnica, comportamento inadequado e problemas internos da equipe. No caso específico da educação empresarial, você pode usar a Pesquisa de Necessidades de Treinamento (LNT), uma ferramenta que pode destacar lacunas, dificuldades e oportunidades nesse processo.

Então, vamos descobrir quais problemas eles estão enfrentando e se a gamificação pode de alguma forma ajudar a resolvê-los.

2 – Entendendo o público-alvo

Outra pesquisa importante a ser feita antes de começar a criar a dinâmica é em relação ao público-alvo da atividade: é necessário conhecer o perfil dos participantes para definir atividades realmente envolventes e eficientes.

Imagine implementar a gamificação com um clima e uma história irrealistas para um grupo de pessoas que odeiam esse estilo? Ou use palavras mais complexas em atividades em que os participantes são crianças do ensino fundamental? Você acha que em um desses casos a estratégia realmente envolverá usuários? Estes são apenas dois exemplos da falta de pesquisa e planejamento e suas conseqüências.

Portanto, é necessário entender o público-alvo do processo de gamificação, conhecendo seus gostos, necessidades, comportamentos, expectativas e objetivos, para evitar o desenvolvimento de uma atividade que não traga os benefícios desejados. Caso contrário, os participantes não podem se unir, abandonar ou aproveitar o momento que deveriam, perdendo tempo, esforço e recursos.

3 – Planeje o projeto

Com essas duas pesquisas, é hora de planejar como será o momento. Você pode escolher um estilo de gamificação analógico ou eletrônico: o primeiro tem o charme da nostalgia; enquanto o segundo tem a praticidade, agilidade e facilidade do digital.

Então você tem que ver quem criará a atividade. Existe alguém interno que saiba como desenvolver essa metodologia na prática ou será necessário colaborar com uma empresa de gamificação?

A escolha feita, agora é a hora de criar! Considerando as necessidades da empresa ou instituição de ensino e o perfil do público-alvo, pode-se pensar em algumas idéias iniciais a serem adotadas em sua realidade. Que história poderia guiar a dinâmica? Que conhecimento deve ser transmitido ou comportamento que mudará? Quais recompensas e incentivos serão usados?

Existe uma grande variedade de elementos de gamificação que podem ser aplicados, como:

  • história;
  • Criando avatares;
  • Sistema de missão;
  • Pontos de experiência;
  • moedas;
  • medalhas;
  • Sistema de níveis de progressão;
  • Dinâmica colaborativa;
  • classificação;
  • os outros;

Portanto, a gamificação pode trazer vários recursos para enriquecer a experiência do usuário. No caso da educação – formal ou corporativa – isso é ainda mais vantajoso, para o benefício dos alunos que aprendem melhor com diferentes estímulos.

4 – Implementar, avaliar e melhorar a estratégia

A plataforma gamificada ou a versão analógica está pronta? Agora é a hora de implementar a estratégia! Mas essa não é a última ação que deve ser tomada nesse processo. Para saber se a metodologia está gerando os resultados desejados, é importante avaliá-la constantemente.

Procure relatórios de desempenho do usuário ou analise seu desempenho nas atividades para identificar quais pontos precisam ser aprimorados, quais estão funcionando e se existe um número considerável de desistências. Todos esses indicadores ajudarão a melhorar o processo de gamificação, observando as falhas e as qualidades da metodologia.

Também é uma boa idéia estimular o feedback dos participantes para ver se eles estão gostando da dinâmica ou não, gerando uma análise qualitativa da estratégia.

Somente com esse acompanhamento de rotina você poderá reunir os bons resultados da gamificação em sua empresa ou instituição educacional, tornando a metodologia cada vez mais eficaz.

Vê como não é tão difícil fazer um processo de gamificação? Mas para tornar sua vida ainda mais fácil e aumentar os resultados dessa estratégia, conte conosco para desenvolver uma plataforma gamificada envolvente e eficiente!

Você pode gostar disto...

Tags: aprendizagem, como fazer gamificação, como gamificar, como usar gamificação, educação, educação gamificada, engajamento, gameficação, games, gamificacao, gamificação com moodle, gamificação no treinamento, gamificando, gamificar, gamification, gamify, inovacao, jogos, o que é gameficação, o que é gamificação, o que faz parte de gamificação, quais elementos gamificação, treinamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.